Uma família enorme, que não para de crescer: a Guarda Mirim de Foz do Iguaçu.

Cada visita de Léa Leone Vianna à Guarda Mirim de Foz do Iguaçu tem ares de encontro de família. A desta terça-feira (6) não foi diferente: a fundadora da instituição, mãe do diretor-geral brasileiro de Itaipu, Luiz Fernando Vianna, foi recebida com música, abraços e muito carinho. O sorriso incansável no rosto entregava o orgulho de quem vê o resultado de anos de trabalho sério e dedicação: um legado incalculável para milhares de vidas.

Léa e Adriana Vianna receberam lembranças: xícaras de chá com a nova logomarca da Guarda. Quem entregou a lembrança à esposa do diretor-geral brasileiro foi o colega Vinicius Ortiz de Camargo.

Acompanhada da nora, a advogada ambientalista Adriana Vianna, e dos pais dela, Pedro e Deana Pedreira, Dona Léa esteve na Guarda Mirim para uma das visitas programadas para a celebração aos 40 anos da instituição. A grande festa está marcada para o dia 26 de julho. “É uma história grande demais para uma visita só”, brincou.

Léa Vianna: muitas histórias e lições para compartilhar.

Enquanto Léa Vianna revia amigos e relembrava histórias com os muitos ex-guardinhas que apareceram por lá, Adriana Vianna, que ainda não conhecia a Guarda Mirim, visitou as instalações. Hélio Cândido do Carmo, presidente da Guarda, apresentou os profissionais que atuam com os jovens e falou das conquistas dos últimos anos e dos projetos em andamento, em especial, o ginásio de esportes, cujas obras já estão adiantadas.

Adriana elogiou a estrutura e a seriedade do trabalho da instituição. 

“É tudo muito organizado, muito bem estruturado, muito ‘redondinho’”, elogiou Adriana. “O fato de ter tanta gente formada pela Guarda ainda trabalhando aqui, ou atuando em prol dela, mostra que a instituição tem um DNA forte, e é isso que faz a diferença.” A família é realmente grande: ao longo dos últimos 40 anos, 27 mil adolescentes foram atendidos pela Guarda Mirim – e são quatro mil na fila de espera.

Carinhoso

A visita foi planejada com carinho pelos jovens. Após um mês de ensaios, a banda se esmerou tocando “Carinhoso”, de Pixinguinha. “Sabíamos que era uma das músicas preferidas da Dona Léa”, reconheceu o maestro Vanderlei Aparecido da Silva.

Muitos ensaios para executar o clássico de Pixinguinha.
Se ela gostou? As lágrimas não deixam dúvida. “Foi a primeira música que dancei com meu marido”, contou ela.

Difícil não se emocionar.

Essa foi apenas uma das muitas histórias que ela compartilhou. Histórias tristes, engraçadas, emocionantes – sempre repletas de lições. “Aprendi mais com vocês do que vocês comigo. Vocês são os professores que me ensinaram o que é a vida de verdade, uma vida de amor, de querer bem, de amizade”, agradeceu emocionada. E, aos ex-guardinhas, que considera filhos do coração, resumiu: “Vocês foram amados. Realmente. Vocês todos foram muito amados.”

Muito amados: os guardinhas das antigas, como o atual vice-prefeito, Nilton Bobato; e a “nova geração”, posando para selfie com a fundadora. 

Campanha

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, Luiz Fernando Vianna, não pôde acompanhar toda a visita, mas destacou que estará presente na comemoração do dia 26 de julho, ao lado da mãe. “Uma instituição tão nobre, que envolve tantos voluntários, é uma inspiração e uma motivação”, disse o diretor. Ele chegou no final da manhã e almoçou no refeitório da Guarda Mirim, antes de assistir a uma breve apresentação sobre a história da instituição.

Diretores receberam o material da campanha. 

No encontro, Hélio do Carmo agradeceu o apoio da Itaipu à Guarda, “tanto financeiro quanto técnico, compartilhando conhecimentos”. Em seguida, como coordenador da Rede Proteger, ele apresentou a Vianna e ao diretor Administrativo, Marcos Baumgartner, a nova campanha da Rede, que tem apoio da Itaipu, por meio do Programa de Proteção à Criança e ao Adolescente (PPCA). Veja mais sobre a campanha aqui.

FONTE: https://goo.gl/02bwnR